Vocês devem estar se perguntando onde estar minha mãe. Bem quando eu tinha seis anos, minha mãe decidiu ir morar com minha avó alegando que minha avó era velha demais para ficar sozinha. Após a morte da minha avó, todos pensaram que ela voltaria, mas não voltou. Hoje ela mora em uma cidade do interior e trabalha como escritora, meu pai de vez em quando vende alguns livros dela. Engana-se quem pensa que ela faz sucesso, como os autores são anônimos, ela não é reconhecida. A ultima vez que eu a vi, eu tinha dez anos.
Com o dinheiro da livraria, meu pai não é rico, mas consegue pagar as contas e nossa escola (que é muito caro e eu não sei por que, lá nem é tão bom assim). Meu pai vive falando que graças a Deus tem uma filha com criatividade e original que adora customizar suas roupas velhas as transformando em novas, mas fazer o que? Isso é como terapia para mim e o bom que nunca vou usar algo velho ou brega já que eu crio a minha moda.
No almoço a Mari fez uma comida "deliciosa" (Argh! parece até veneno. Muita salada e sem bata frita nenhuma!) e tive de fazer os meus chatos e entediantes para casa. O bom que depois pude mexer no computador. Entrei no ThePage.com e postei: Vida chata, mas poderia estar pior; Humor: Entediada '-'. Entrei no MSN e conversei com a Malu. Marcamos de nós encontrarmos na praça, como todos os dias.
Na praça, além de encontrar a Malu, encontrei o Thiago. O Thiago!? Sim. O Deus Grego estava andando de skate com uns amigos. Fingi que não vi, tirei meu caderninho e meu lápis e comecei a desenhar o lindo do Thiago enquanto a Malu falava sobre a avó dela querer que ela curse o ensino médio numa escola em Paris. Foi então que ouvimos um estrondo. Igual duas doidas, fomos correndo para a pista de Skate. Imagina o Thiago desmaiado e eu sou a primeira pessoa a socorrê-lo e então ele acorda e me beija como agradecimento (como se isso fosse possível, mas de vez em quando é bom sonhar!). A cada passo meu coração batia mais forte, mas bateu mais forte á toa, foi um amigo do Thiago (que a Malu achou bem gatinho) que caiu. Já estava escurecendo então fomos cada um pra sua casa.

Ei calma ai... Droga! Eu esqueci meu caderninho na praça. Ai mais eu sou uma tonta mesmo! Agora ele deve estar lá, sozinho, no frio ou com algum estranho tirando proveito dele. Mas que #@%$!!!!

Deixe um comentário