Oi Mentes Inquietas, tudo bem com vocês?!
E antes que alguém venha me xingar ou reclamar: não, este não é um post para colocar Marvel contra DC!
É obvio que os filmes da Marvel já tem um estilo e um nome no ramo de filmes de heróis, mas a DC ainda está aprendendo e é normal ter acertos e erros ao longo deste aprendizado. 
Maaaas neste post eu vim compartilhar minha experiência que assisti os dois filmes no mesmo dia, ou seja, farei uma resenha com algumas comparações porque na hora que assisti os filmes as comparações eram inevitáveis. 
E se você é spoilerfóbico e ainda não assistiu algum desses filmes, é melhor voltar após ter visto os dois, okay?! 
Liga da Justiça -  Zack Snyder 
Data de lançamento: 16 de Novembro de 2017
Gênero: Ação, Ficção cientifica | Nacionalidade: E.U.A
Sinopse: Impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman (Henry Cavill), Bruce Wayne (Ben Affleck) convoca sua nova aliada Diana Prince (Gal Gadot) para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes - Batman, Mulher-Maraviha, Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher) e Flash (Ezra Miller) -, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.
Admito que este filme era muito esperado por minha pessoa, não só por unir personagens dos quais eu gosto muito, mas por unir atores dos quais eu sempre acompanhei (Erza <3). Eu assisti o filme antes de ter visto Thor, e em 3D. Acho que se eu tivesse visto em uma tela normal ou em IMAX eu conseguiria aproveitar melhor a estética do filme. Mas mesmo com esse deslize pessoal, eu achei incrível os efeitos especiais.
Mas, mesmo achando essa estética excelente, eu acho que em dois pontos o diretor perdeu a mão: no vilão e no local onde o mesmo escolhera. Além de achar o vilão sem personalidade, perigoso apenas por ser e um CGI bem explicito, o local de escolha do mesmo estava bem ambientado com um perigo apocalíptico, mas o resto do mundo parecia não perceber este perigo, além de que grande parte do filme apresenta apenas uma família como a grande sofredora de todo este acontecimento. 
O filme é bem divertido e a parte que acompanhamos o Bruce e Diana formando a equipe é bem legal. O Erza como Flash está extremamente bem humorado, só o modo como ele corre que ainda é um pouco estranho e cômico. O papel de Aquamen caiu como uma luva para Jason Momoa e as cenas do mesmo em Atlântida já me deu uma certa curiosidade para ver o filme solo do super herói. A caracterização do Ciborgue está perfeita e ao contrário de muito críticos, não o achei bipolar, mas sim confuso. Tudo o que ele está passando é algo extremamente novo em sua vida e o fato dos poderes do mesmo está em constante evolução pode explicar muito bem essa confusão do personagem. 
Porém duas coisas me incomodaram, uma delas foi que ao mesmo tempo que havia um perigo instalado por conta da presença do Lobo da Estepe, o retorno do Superman parecia ser a solução de tudo. É claro que esse retorno era muito esperado e para a população humana do filme a morte do herói era praticamente a perda da esperança. E outra coisa que me incomodou foi que o filme é algo muito divertido mas não é marcante ou diferente. Muitos dos fãs dizem que isto aconteceu por conta de cortes de diversas cenas a mando estúdio. É como se eles usassem a mesma formula dos filmes de formação de equipe e não trouxesse nada inovador. E com isso fica evidente o medo de errar.
Resumindo, a equipe trabalha muito bem em conjunto, as cenas de ação são bem fodas e as de dialogo também, demonstrando o quão é complicado unir pessoas poderosas e com diferenças entre si. O filme também retrata o medo do Batman de ser deixado de lado por não ter propriamente poderes. Mas o vilão é apenas mas um e o filme não deixa uma marca memorável. 
P.S: Se você é fã de K-pop fica atento(a) a cena em que o Bruce visita o Flash pela primeira vez, toca Blackpink <3 
Avaliação:
Thor Ragnarok - Taika Waititi
Data de Lançamento: 26 de Outubro de 2017
Gênero: Ação, Fantasia, Aventura, Ficção cientifica | Nacionalidade: E.U.A
Sinopse: Thor (Chris Hemsworth) está preso do outro lado do universo. Ele precisa correr contra o tempo para voltar a Asgard e parar Ragnarok, a destruição de seu mundo, que está nas mãos da poderosa e implacável vilã Hela (Cate Blanchett).
Eu admito que cheguei uns 2 minutos atrasada neste filme já que era uma sessão bem após a outra e no Liga da Justiça tem duas cenas pós credito. Mas creio eu que não perdi nada de muito importante, já que consegui entender muito bem o enredo do filme. Porém, algo que me surpreendeu foi que nos filmes minutos do filmes já somos apresentados à piadas típicas de quinta série. E essa piada foi tipo uma preparação para o que viria ao longo do filme. Eu não to falando que gostaria de um filme totalmente sério, e era obvio que a Marvel ia apostar em algo mais alegre para este filme do Thor (Sério, olha esse pôster todo colorido!), mas tentar forçar uma piada a cada cena é bem... previsível? E talvez este foi o motivo de eu não consegui rir de muitas delas, porque eu já as esperava. 
Tirando isso, o filme tem muitas aparições de outros heróis da Marvel, como Dr. Estranho. E meio que a participação dele é só isso mesmo, além de ser algo engraçado. Novamente, podemos ver Loki e Thor agindo juntos, e Loki sempre tentando pregar uma peça em Thor. Ao contrário de Liga da Justiça, esta vilã, interpretada de modo magnifico pela Cate Blanchett, tem personalidade e ao longo do filme o público entende o porque dela ser  e agir daquele modo. Mas algo em relação a ela e aos heróis deste filme me deixou incomodada. O modo de agir de todos é um tanto inconsequente, como se eles não pudessem se ferir ou serem mortos (bem, nos vemos que isso não é verdade). Eu sei que pode parecer loucura da minha cabeça ou porque eu acabara de ver um filme onde um herói volta "dos mortos", essa falta de importância com uma possível morte me preocupou. 
Mas tirando isso, o filme realmente se trata de uma aventura, daquelas típicas de passa na Globo domingo. As cenas na qual o Thor está tanto com Hulk quanto com Banner são bem engraçadas, mesmo que o Hulk seja retratado como um bobalhão cômico. Eu juro que eu gosto de piadas, mas poxa Marvel, não tente transformar Thor nos Guardiões da Galáxia, onde esse tipo de humor é essencial.
Caminhando para o terceiro ato, o filme faz uns comentários como "estamos formando uma equipe", que me fez pensar se não seria uma alfinetada para o concorrente Liga da Justiça
E finalmente, o final é bem imprevisível, e ao contrário do Liga da Justiça, podemos ver o quão poderosa é a vilã pelo estrago causando tanto em Asrgard quanto em seu povo. Tanto que não é propriamente o Thor e sua 'equipe' que dão fim a Hela. 
Resumindo, é um filme muito divertido e com um tom bem diferente dos outros filmes do Thor. É de longe um dos melhores da franquia do herói, mas erra um pouco a mão no humor. Sério, as vezes nem parecia que era um filme do Deus dos trovões.
Avaliação: 

Deixe um comentário