Olá Mentes Inquietas, tudo bem com vocês
Hoje eu vim trazer um livro que é o primeiro que li do gênero, e do autor. 
Já aviso que não é uma leitura muito recomendada para quem tem estômago fraco! 
E aviso também que está leitura pode ter spoilers! 
Jantar Secreto - Raphael Montes
Editora Companhia das Letras
Ano: 2016 | Páginas: 360
Sinopse: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa- arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio- carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

Eu já queria ler este livro há tempos mas só agora que estou me forçando a retornar com este hábito e com muito tempo de sobra que eu li. Apenas sabendo que o livro se tratava de canibalismo, antes de ler a sinopse, eu pensei que era um livro sobre algum serial killer ou algo do tipo, mas não. Raphael nos apresenta um grupo formado por quatro jovens: Jorge Leitão, um obeso mórbido que abandonou a faculdade; Miguel, um estudante de medicina; Hugo, um chefe de cozinha arrogante e Dante, um formado em administração que trabalha em uma livraria e é infeliz com sua situação financeira atual, sendo esse último o personagem narrador. Logo nos primeiros capítulos nos deparamos com o motivo pelo qual estes quatro se envolvem com os jantares secretos. 
"Um sujeito estava andando pela rua quando deparou com um restaurante que vendia carne de gaivota. Pediu a carne, comeu, foi para casa e se matou. Por quê? (...) Depois de muito tempo, você descobre que o sujeito é viúvo; que a mulher dele morreu em um acidente de avião; que ele também estava na aeronave na hora do acidente; que os sobreviventes foram parar numa ilha deserta sem comida; que o corpo da mulher desapareceu na queda; que os sobreviventes ofereceram carne de gaivota ao sujeito; que ele comeu e gostou; que ele sobreviveu até o resgate comendo carne de gaivota, e por isso decidiu provar a do restaurante; e que, ao provar, ele percebeu que o que tinha comido na ilha anos antes não era carne de gaivota, mas a carne da própria mulher"
Mesmo eu tendo um leve arrepio com este enigma que se encontra logo no inicio do livro, eu continuei a ler. Logo, a leitura flui de forma rápida e eu estava totalmente curiosa. E mesmo com algumas partes sendo bem descritiva, eu tive a mesma sensação quando eu via a série "Hannibal": eu via as belas cenas do canibal cozinhando e até sentia água na boca, mas ao lembrar que aquilo era carne humana, meu estomago embrulhava. Os pratos que Hugo cozinha são bem descrito por Dante, mas logo o mesmo te lembra que aquilo é carne humana, utilizando o termo carne de gaivota
Foto retirada do blog Coisas de Mineira
Mas o intuito do livro não é apenas chocar com o tema polêmico, mas sim alertar o leitor até onde o ser humano pode ir para conquistar o que anseia. Além da critica social ao mostrar o que o dinheiro e poder pode conseguir. Mais para o final da obra, nos deparamos com cenas que comparam os seres humanos a animais. E a maioria destes seres humanos são provenientes de uma classe com renda mais baixa ou são minorias, como pessoas negras e acima do peso. O modo como o autor realiza estas comparações é até um pouco cruel, mas se encaixa perfeitamente com a transformação que o personagem principal, Dante, passa ao longo de toda a história. 
"O ser humano é um bicho escroto por natureza. Não importa o que digam, todo mundo é assim. Rico ou pobre, negro ou branco, velho ou novo, não interessa. Somos todos iguais em escrotidão."
Sem querer dar muitos spoilers — e avisando novamente para quem é spoilerfóbico é melhor parar por aqui —. O final do livro é surpreendente. Eu gosto muito de obras que se propõe a criar uma história fascinante mas que no último instante tem um plot twist. Eu finalizei a leitura boquiaberta com o que é revelado. 

Avaliação: 

2 Comentários

  1. Caramba. Eu já tinha visto este livro por aí mas nunca parei para ler uma resenha dele. É realmente chocante. Mas achei interessante as outras coisas que são abordadas a partir do tema central. Adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho muito bacana o autor utilizar um assunto muito chocante para chamar atenção para algo que convivemos e não ligamos tanto.

      Excluir